sexta-feira, 28 de julho de 2017

Opinião :: O Livreiro de Paris | Nina George

Título: O Livreiro de Paris
Autora: Nina George
Editora: Editorial Presença
Ano: 2017

Sinopse:
Jean Perdu é proprietário de um negócio tão especial quanto extraordinário: a Farmácia Literária, uma livraria instalada num barco atracado no rio Sena, em Paris. Ao invés de vender medicamentos, receita livros como remédio para os males da alma. Porém, embora saiba aliviar a dor dos outros, não consegue atenuar a sua própria dor. O que Monsieur Perdu não sabe é que a descoberta de uma carta do seu passado está prestes a mudar-lhe o destino. Depois de a ler, Jean encontra-se numa encruzilhada: continuar uma existência sombria e dolorosa ou embarcar numa viagem ao Sul de França, até à Provença, ao encontro da reconciliação com o passado e da beleza da vida.

Opinião:
O que mais me chamou a atenção ao conhecer o livro foi a Farmácia Literária: acredito que muitos livrólicos fossem adorar entrar naquela farmácia, quer para lhes serem receitados livros, quer para conhecerem Jean Perdu.
Criei uma certa empatia com este livreiro, pois ele detém um conhecimento vasto em literatura, gosta de gatos e leva uma vida pacata. No entanto, percebe-se logo de início que há algo que o preocupa e o mói por dentro: aos poucos fui descobrindo o seu passado e acompanhando o presente... e achando que, de alguma forma, ele faz jus ao seu apelido! 😉
A leitura levou-me à viagem de Perdu pela França: fui imaginando o rio, as montanhas, as casas e também as cores, os sabores e os cheiros. De igual modo, fui conhecendo melhor o passado amoroso de Perdu.
Agradou-me a abordagem que a autora fez à morte e ao luto. O assunto é complexo e difícil de gerir quando, de repente, nos vemos nessa situação. Penso que a forma como a personagem acaba por lidar com o luto é viável, bonita e pode mesmo ser uma ajuda a um leitor enlutado.
A escrita é muito boa, informal e consegue activar os nossos sentidos. Senti-me a viajar com Perdu pelas belas paisagens francesas e até fiquei a conhecer alguns pratos típicos: o livro traz algumas receitas que parecem ser deliciosas! Além disso, traz também uma lista de livros a ler quando estivermos doentes. Ficamos assim com um óptimo farmacêutico em casa!
Leiam este livro: é encantador!

terça-feira, 25 de julho de 2017

Livro recebido :: "No Rasto do Predador"

Olá! Hoje tenho para vos mostrar este livro: No Rasto do Predador, de Wilbur Smith com Tom Cain. Este é mais um thriller que estou ansiosa por ler, pois estou cada vez mais fã deste género literário!
O livro é relativamente recente, mas já o conheciam?

Título: No Rasto do Predador
Autores: Wilbur Smith com Tom Cain
Editora: Editorial Presença
Ano: 2017

Sinopse:
Hector Cross, ex-agente SAS, perito em segurança privada, viúvo. A sua mulher desapareceu cedo demais, cruelmente assassinada. Johnny Congo - psicopata, extorsionista, terrorista - é o homem que Cross quer ver morto. Tal como as autoridades americanas. Congo é levado para o corredor da morte da prisão mais segura do mundo. Duas semanas apenas o separam do dia da sua execução. Ele quer fugir. Já se evadiu uma vez e sabe que pode fazê-lo de novo. Cross, ainda mal refeito do seu confronto com Congo, regressa à ação. Em pleno Atlântico, navega o superpetroleiro Bannock A. Ataques terroristas na zona provocam o pânico e só uma pessoa pode assegurar a proteção do navio. O que foi prometido como algo fácil é muito mais do que isso - é uma missão que irá pôr à prova os limites emocionais e físicos de Cross. Mas o seu passado como agente SAS e a sua experiência em segurança privada tornaram-no capaz de enfrentar todos os perigos. Conseguirá desta vez apanhar a sua presa?

sábado, 22 de julho de 2017

Opinião :: Eu Amo Você | Nilton

 Título: Eu Amo Você
Autor: Nilton
Editora: Livros d'Hoje
Ano: 2011 (7.ª edição)

Sinopse:
Este é um livro de humor que disserta sobre todos em geral e os portugueses em particular. Pequenos pensamentos ou grandes ideias sobre o nosso dia-a-dia. Duzentas páginas de dúvidas de um autor que vive fascinado com a essência do ser português.

As pessoas que se divorciam não deveriam ser obrigadas a devolver os presentes?

Porque é que quando estamos na dúvida se o leite está azedo e pedimos a alguém para provar, essa pessoa prova? Em vez de um acordo ortográfico, entre Portugal e Brasil não será mais urgente fazer um acordo pornográfico?

Um pai que tem gémeos vive descansado. Acontece alguma coisa a um, tem outro. Telefonam da escola a dizer: «O seu filho partiu a cabeça», e o pai pensa: «Não me importa, tenho aqui outro igualzinho, está impecável!» Porque é que as pessoas folheiam os livros novos na livraria?

Estão com a esperança de encontrar lá alguma coisa sobre eles?

Já agora, a crise manda-lhe um abraço e avisa que vai chover para a semana.


Opinião:
Após ter lido o livro Paga O Que Deves!, reencontrei o mesmo tipo de humor e de escrita de Nilton em Eu Amo Você. Os dois livros são bastante semelhantes no seu conteúdo, mas acho que gostei um pouco mais deste do que do outro, talvez por se centrar mais nas questões do dia-a-dia e no povo português.
Tendo sido pela primeira vez editado em 2009 - parecendo que não, já lá vão oito anos... - , Eu Amo Você possui alguns assuntos e personalidades da época, o que me fez recordá-los e me deixou até de sorriso no rosto, tendo sido também mais fácil entender as piadas. ☺
Em suma, foi um livro bom de ler, agradável e engraçado, sendo uma leitura apropriada para um fim-de-semana ou outra altura em que desejemos desanuviar lendo algo leve.

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Livro recebido :: "O Grito do Corvo"

Ora viva! Quero partilhar convosco este novo livro: O Grito do Corvo, de Sandra Carvalho. Este é o terceiro livro da trilogia Crónicas da Terra e do Mar que tem como pano de fundo o arquipélago dos Açores. Tenho para mim que esta leitura me vai fazer viajar um pouco... ☺

 Título: O Grito do Corvo
Autora: Sandra Carvalho
Editora: Editorial Presença
Ano: 2017

Sinopse:
Os piratas do Rouxinol veem-se cada vez mais longe de saquear o ouro da galé castelhana Niña del Mar devido aos estragos causados pela violenta tempestade que se abateu sobre o barinel. A descoberta da identidade de Leonor faz com que Corvo queira regressar de imediato aos Açores, para entregá-la à guarda do pai. Porém, a tripulação discorda e o caos instala-se a bordo. O que Leonor mais deseja é lutar ao lado dos companheiros e recuperar a confiança de Corvo. No entanto, Tomás Rebelo continua a precisar dela para alcançar o propósito funesto que o levou a assenhorear-se de Águas Santas. Conseguirá Leonor chegar incólume à misteriosa ilha das Flores, conhecer o Açor e abraçar a irmã, ou acabará abandonada por Corvo, à mercê dos caprichos do abominável Tomás Rebelo?

domingo, 16 de julho de 2017

Opinião :: O País do Carnaval | Jorge Amado

Título: O País do Carnaval
Autor: Jorge Amado
Editora: Planeta de Agostini
Ano: 2002 (49.ª edição)

Sinopse:
Diante da grandiosidade da natureza, o brasileiro pensou que isto aqui fosse um circo. E virou palhaço...
Este livro pretende contar a história de um homem que, tendo vivido na velha França muito tempo, voltou à Pátria disposto a encontrar o sentido da sua vida.
Conta a sua luta, o seu fracasso. Conta a luta dos seus amigos, rapazes de talento, que falharam na existência.
Este livro é um grito. Quase um pedido de socorro.
É toda uma geração insatisfeita que procura a sua finalidade.
Nós já começamos a luta contra a dúvida. A geração que chega combate as atitudes céticas.
Este livro narra a vida de homens céticos que, entretanto, procuram uma finalidade. Tentaram alcançá-la. Uns no amor, outros na religião. O fracasso das tentativas não é prova da sua inutilidade.

 
Opinião:
O País do Carnaval foi o primeiro livro escrito por Jorge Amado, em 1930. Perante a sinopse desta edição, a minha curiosidade aumentou exponencialmente. De facto, ao julgar qualquer livro pela capa ou pelo título não fazemos as melhores conclusões sobre o mesmo. Inicialmente, pensava que este livro contava uma história que retratasse um Brasil alegre, colorido, de espírito carnavalesco. No entanto, quer a sinopse, quer o texto introdutório escrito por Augusto Frederico Schmidt (uma carta direccionada ao autor), explicam-nos perfeitamente o que vamos encontrar na obra.

Esta é a história de um grupo de homens que procura o sentido das suas vidas. Juntos discutem filosofias, questionam o amor, a política, a escrita e a religião e, individualmente, tiram as suas conclusões.

A história está cheia de metáforas e ironias inteligentes. Em quase todo o livro encontramos diálogos e pensamentos acerca das dúvidas existenciais das personagens. Por vezes achei um pouco de mais, mas no fim acabei por achá-las necessárias. A visão de cada um sobre a vida permite-nos reflectir sob diferentes perspectivas; tal como as personagens, fui assimilando as opiniões e criando a minha própria ideia acerca do assunto. Gostei desta liberdade de pensamento e do espírito vanguardista de Jorge Amado.

À parte das questões filosóficas, existe também algum romance que, parecendo à partida algo simples e natural, suscitou igualmente muitas dúvidas em algumas personagens.

Mais uma vez, Jorge Amado faz um retrato da sociedade brasileira da época (que, na verdade, foi o primeiro) com uma escrita muito simples e característica, à qual já me habituei e tenho apreciado cada vez mais.

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Livro recebido :: "A História Secreta de Twin Peaks"

Olá a todos! Este foi mais um livro que chegou à minha estante: A História Secreta de Twin Peaks, de Mark Frost. Admito que não conhecia a série Twin Peaks porque não sou grande fã de séries televisivas, mas estou bastante interessada em descobrir a sua história neste livro. Já o folheei e o seu conteúdo é absolutamente tentador!

Título: A História Secreta de Twin Peaks
Autor: Mark Frost
Editora: Suma de Letras
Ano: 2016

Sinopse:
Twin Peaks, a mais icónica cidade da televisão, guarda muitos mais mistérios para além do assassinato de Laura Palmer. O co-criador da série, Mark Frost, revela-nos, nesta magnífica obra, a vida desta aparentemente tranquila cidade.

domingo, 9 de julho de 2017

Colecção "Ler Faz Bem" da Revista Visão #7

Boa tarde! Aqui está o meu sétimo exemplar da colecção Ler Faz Bem da revista Visão. O livro deste mês é A Mulher de Trinta Anos, de Honoré de Balzac.
Já adquiriram o vosso?

Título: A Mulher de Trinta Anos
Autor: Honoré de Balzac
Editora: Cardume Editores
Ano: 2017

Sinopse:
Júlia é uma jovem encantadora e romântica que, contra a vontade do pai e uma série de maus presságios, teima em casar com o belo Vítor d'Aiglemont. Uma vez casada, rapidamente descobre que o homem a quem se uniu para toda a vida é afinal um ser medíocre, que mal sabe distinguir a mulher do cavalo.
Impossibilitada de viver o verdadeiro amor - que lhe devota Artur - devido à sua má escolha e à servidão perpétua que ela acarreta, Julie vai amadurecendo e revendo a sua forma de encarar o amor e o papel da mulher na sociedade e no casamento.
Bela e riquíssima reflexão sobre a condição e o amadurecimento femininos, A Mulher de Trinta Anos é um dos mais famosos livros de Balzac e aquele que cunhou o termo que é desde então sinónimo da beleza da mulher madura: balzaquiano.

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Opinião :: Suor | Jorge Amado

Título: Suor
Autor: Jorge Amado
Editora: Planeta de Agostini
Ano: 2002 (49.ª edição)

Sinopse:
Os ratos passaram, sem nenhum sinal de medo, entre os homens que estavam parados ao pé da escada escura. Era escura assim de dia e de noite e subia pelo prédio como um cipó que crescesse no interior do tronco de uma árvore. Havia um cheiro de quarto de defunto, um cheiro de roupa suja, que os homens não sentiam. Também não ligavam aos ratos que subiam e desciam, apostando carreira, desaparecendo na escuridão.
Vermelho e pequenino, um dos homens limpava com a manga da camisa o suor do rosto, que o outro, preto e agigantado, deixava que brilhasse na testa de carvão. O terceiro, cujos dentes salientes davam-lhe um aspecto de cão selvagem, trazia a camisa pregada ao corpo e mastigava um cigarro apagado.

Opinião:
Algum tempo depois, decidi voltar a descobrir as obras de Jorge Amado e desta vez peguei no livro Suor. Este livro foi escrito em 1934 e fala sobre as condições precárias em que o proletariado vivia e na vontade de fazer justiça em relação às diferenças entre eles, os patrões e os ricos. Tendo como plano de fundo um prédio onde vivem centenas de pessoas, o autor apresenta algumas personagens e revela o seu dia-a-dia, as condições de vida, de higiene e de trabalho e também os seus pensamentos e sonhos. Como tem sido hábito nos seus livros, o autor recorre muitas vezes à ironia e ao humor para descrever os problemas que se viviam.
A história está dividida em vários episódios, uma espécie de contos, que falam sobre vários temas. Durante a leitura, recordei-me do livro Cacau, publicado um ano antes, quando se faz referência aos imigrantes em busca de fortuna nas fazendas de cacau. Penso que estes são dois livros que se complementam nas suas ideias, mas ao mesmo tempo são bastante distintos!
É um livro pequeno, agradável e rápido de se ler. É óptimo para conhecer mais sobre a cultura brasileira e até mesmo para pensar um pouco nas críticas sociais que, apesar de serem de há 83 anos, ainda se podem aplicar actualmente...

domingo, 2 de julho de 2017

Taça das Confederações 2017

Hoje escrevo sobre a Taça das Confederações que decorreu este ano na Rússia e na qual a selecção portuguesa participou pela primeira vez, já que é actualmente a campeã europeia.
Até bem pouco antes do início da competição, não fazia ideia da sua existência e muito menos do porquê de acontecer. Após uma breve pesquisa, fiquei a conhecer melhor como funciona e, como Portugal estava lá, segui com entusiasmo o seu percurso.
A competição foi pequena e contou apenas com a presença de oito selecções. Vibrei quando Portugal passou à meia-final mas fiquei com pena de não ter chegado à final. Alguém tem de ficar pelo caminho... Só um é que ganha!

A esta hora, vocês devem estar a perguntar: E qual é o propósito deste texto?!.

Pois bem, este texto é um pequeno desabafo. Desde a nossa derrota, tenho relembrado várias vezes as palavras de Marcelo Rebelo de Sousa após a nossa vitória na Eurovisão, que dizia que agora os portugueses iam achar que iriam ganhar tudo na vida. Ora, como ganhámos o Euro e a Eurovisão, ficava bem conquistar também a Taça das Confederações... Mas não conseguimos. Assim, foi inevitável não pensar que a maioria dos portugueses iria criticar a selecção pela derrota, pois o seu dever seria continuar a arrecadar taças e títulos e mostrar que os portugueses é que são os melhores...
Pois... Tal como muitos, fiquei um pouco desiludida com a derrota, mas nunca com a nossa selecção!
Nos últimos tempos, Portugal tem conseguido resultados e feitos históricos que nos têm deixado tremendamente orgulhosos. No entanto, há que ter a noção de que é impossível ser-se bom em tudo, conseguir ganhar tudo, estar sempre no topo.
Penso que devemos estar todos orgulhosos por Portugal ter sido representado pela primeira vez pela selecção neste breve campeonato e ter conseguido logo chegar ao terceiro lugar! Foi um jogo sofrido, mas ainda bem que foi favorável para nós. 😉
E dou os meus parabéns à selecção da Alemanha por ter ganhado a Taça. Só lamento alguns incidentes que houve durante o jogo: poderia ter sido muito mais bonito...

sábado, 1 de julho de 2017

Livro recebido :: "O Livro dos Chacras"

Olá a todos! Hoje vou mostrar-vos um livro novo: O Livro dos Chacras, de Osho. Este livro aborda a ciência esotérica, da qual não tenho qualquer conhecimento. Sempre fui muito céptica em relação a este género de temas, mas confesso que é algo que gostaria de compreender melhor. Penso que este livro me vai oferecer muita informação: já o folheei e vi que tenho muito para ler! Mas isso não é algo que me aborreça... 😁

Título: O Livro dos Chacras
Autor: Osho
Editora: O Castor de Papel
Ano: 2017

Sinopse:
Nestas páginas, Osho dá-nos uma perspetiva da ciência ocidental dos centros de energia subtil do corpo humano, por vezes conhecidos por "chacras". Trata-se de uma ciência subjacente à medicina tradicional chinesa, ao Ayurveda indiano, e à prática do yoga kundalini, entre outras disciplinas que reconhecem a ligação profunda entre a mente e o corpo. Osho mostra ainda como estes princípios se aplicam ao crescimento psicológico e ao amadurecimento humano e, também, à evolução da consciência.