domingo, 31 de dezembro de 2017

Happy New Year 2018!

Espero que todos vocês tenham
uma excelente Passagem de Ano
e que 2018 seja um ano promissor,
cheio de saúde e bons momentos!
🙂🎆🎊

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Pile of books :: Read in 2017 #2

Continuing my reading digest of this year, I wanted to write another post with my English readings - and they were more than I had in mind. So, in 2017 I read nine English books, which six were won in Goodreads giveaways and three were e-books. Well done! 😃

Books won on Goodreads.
Out of the pile of books (e-books, in this case):

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Pilha de livros :: Lidos em 2017 #1

O ano de 2017 está a terminar e, tal como no ano passado, aqui está a minha pilha de livros lidos este ano.
Fui bastante cautelosa com o meu objectivo de leitura no Goodreads; mantive o número de 2016 e propus-me a ler 20 livros. Mas, se no ano passado superei esse número, este ano li quase o dobro! Foram 38 livros lidos, dos quais nove em inglês (irei publicar um post exclusivo a esses livros).
Assim sendo, deixo aqui as listas dos livros lidos em português:

Fora das pilhas de livros (livros que me foram emprestados e um que ficou esquecido para a foto 😁):
Por último, um livro que não foi propriamente uma leitura mas que teve direito a uma opinião:

terça-feira, 26 de dezembro de 2017

Livros recebidos :: Natal 2017

Olá! E num instante passou-se o Natal... Passa tão rápido, não é?
Pois é... Mas passou-se bem e, como tem sido hábito, recebi livros! 🙂
Este ano, o Pai Natal foi generoso: foram quatro os livros que me pôs no sapatinho! Foram eles: Duas Mulheres, Dois Destinos, de Lesley Pearse; Para Lá do Inverno, de Isabel Allende; Mariana, meu amor, de Margarida Rebelo Pinto; e Piadas Ribeirinhas, de Pedro Ribeiro. Não será de mais dizer que adorei todos eles, tanto os romances como o livro de piadas, mas admito que os romances foram os que mais me fascinaram, pois já andava a namorá-los há algum tempo. Além disso, são livros bonitos e vão deixar a minha estante ainda mais encantadora! 😍

Título: Duas Mulheres, Dois Destinos
Autora: Lesley Pearse
Editora: Edições ASA
Ano: 2017

Sinopse:
Na primavera de 1935, em Londres, duas jovens observam enquanto a polícia retira o cadáver de um homem de um lago. Elas vêm de mundos completamente diferentes. Ruby é filha de uma prostituta alcoólica e só conhece a pobreza e o abandono. Verity, de boas famílias, vive com todo o conforto que o privilégio garante. Mas, nesse dia, começa entre ambas uma amizade que perdurará ao longo do tempo. 
O destino, porém, não tardará a mostrar quão traiçoeiro pode ser: ao passo que Ruby encontra, por fim, um lar onde é amada e acarinhada, Verity sofre revés atrás de revés, e um terrível segredo do passado ameaça destruí-la. A Grã-Bretanha prepara-se para a guerra, a conjuntura é turbulenta. Apesar disso, ambas continuam presentes na vida uma da outra… até ao dia em que uma delas profere as palavras: "Morreste para mim".
Num país dilacerado pela guerra, poderá a amizade sobreviver?

Duas Mulheres, Dois Destinos é um romance épico que nos fala de lealdade, amor, e da força dos laços de amizade perante as mais duras adversidades. Como sempre, Lesley Pearse não desilude…

Título: Para Lá do Inverno
Autora: Isabel Allende
Editora: Porto Editora
Ano: 2017

Sinopse:
«No meio do inverno, aprendi por fim que havia em mim um verão invencível.»
Albert Camus
 

Isabel Allende parte da célebre frase de Albert Camus para nos apresentar um conjunto de personagens próprios da América contemporânea que se encontram «no mais profundo inverno das suas vidas»: uma mulher chilena, uma jovem imigrante ilegal guatemalteca e um cauteloso professor universitário. Os três sobrevivem a uma terrível tempestade de neve que se abate sobre Nova Iorque e acabam por perceber que para lá do inverno há espaço para o amor e para o verão invencível que a vida nos oferece quando menos se espera. 
Para lá do inverno é um dos romances mais pessoais da autora: uma obra absolutamente atual que aborda a realidade da migração e a identidade da América de hoje através de personagens que encontram a esperança no amor e nas segundas oportunidades.

Título: Mariana, meu amor
Autora: Margarida Rebelo Pinto
Editora: Clube do Autor
Ano: 2015

Sinopse:
No século XVII, durante a Guerra da Restauração da independência de Portugal, soror Mariana Alcoforado apaixonou-se por um oficial francês. As cartas de amor que lhe escreveu transformaram-se num símbolo da literatura romântica universal. Trezentos anos depois, Alice revisita esta história e aprende com Mariana a vencer a tristeza de um amor perdido.
Mariana, Meu Amor é um romance dentro de um romance, uma narrativa a duas vozes de duas mulheres corajosas que, através de vivências quase opostas, conseguiram desafiar o seu destino e alcançar a paz, sem negar os seus sentimentos mais profundos.


Título: Piadas Ribeirinhas
Autor: Pedro Ribeiro
Editora: Cultura Editora
Ano: 2017

Sinopse:
Ao longo dos anos, Pedro Ribeiro, décimo dan em piadas secas e mestre ninja em anedotas absurdas, tem vindo a espalhar pelas ondas da rádio, nas ruas, nos bares de strip e nas paragens de autocarro a sua obra completa.
Porém, os clássicos do cancioneiro «ribeirinho» surgem agora compilados nesta obra-prima do trocadilho e do humor descabido.
Nenhuma outra piada seca apresenta um selo de qualidade como o da «piada ribeirinha», que já tem região demarcada, garantia da União Europeia e várias medalhas de ouro em concursos internacionais de cerveja.
Com as piadas deste livro, podes brilhar na festa de Natal do escritório e durante o jantar de turma da faculdade. Se todos estiverem bêbedos, também ajuda.
«Piadas Ribeirinhas», declaradas pela UNESCO como o melhor desbloqueador de conversa a seguir ao estado do tempo.

domingo, 24 de dezembro de 2017

Bom Natal!

Desejo a todos os seguidores, leitores e amigos um bom Natal!
Espero que se divirtam na Consoada, que convivam muito, que comam coisas boas e, se ainda houver tempo, leiam um bocadinho! 😊

quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Opinião :: Pede-me o que quiseres ou deixa-me | Megan Maxwell

Título: Pede-me o que quiseres ou deixa-me
Autora: Megan Maxwell
Editora: Editorial Planeta
Ano: 2014

Sinopse: 
Judith e Eric regressam da viagem de lua-de-mel depois de um casamento de sonho. Ele sente-se o homem mais feliz do universo e não imagina a vida sem ela: apesar disso, os ciúmes e o desejo veemente de a proteger assolam-no repetidamente.
Por seu lado, Judith está maravilhada com o seu Iceman e tenta ver sempre tudo pelo lado positivo, embora em mais de uma ocasião fique com o pescoço cheio de chupões…
Desfruta de Eric e dos jogos sexuais, excepto quando ele lhe sussurra que um dos seus maiores desejos é ter um filho com ela.
Pede-me o Que Quiseres ou Deixa-me é uma intensa e atrevida história de amor, recheada de atracção e erotismo, onde os protagonistas lutam por preservar a relação, apesar de o preço que terão de pagar ser demasiado alto.
Megan Maxwell conclui assim esta saga erótica repleta de emoções e paixão.

Opinião:
Pede me o que quiseres ou deixa me tem um título ainda mais empolgante do que o segundo livro, já que dá a entender que nem tudo o que se passa na vida do casal Zimmerman é um mar de rosas, de tal modo que um deles acabará por fazer essa questão.
Neste livro, esperei ficar a par da vida oficial de casados de Judith e de Eric e, tendo em conta o título e o arrufos a que já me habituaram, saber se eles conseguiriam vingar a relação.
Sendo o término da saga, esperei igualmente um final feliz (o meu espírito romântico deixa-me sempre expectante) e li o livro com grande avidez, tal como os anteriores. Foi com alguma ansiedade que li algumas partes mais tensas, mas no geral foi uma história feliz, que me agradou muito.

No cômputo geral, a saga Pede me o que quiseres foi muito agradável de seguir. Conheci duas pessoas completamente diferentes que se apaixonaram fervorosamente e que descobriram juntas um mundo íntimo que ainda é do desconhecimento de muita gente.
A história teve muito erotismo e paixão, mas também marcou pelo amor (pelo parceiro, família e amigos), pela confiança, pelo valor da amizade, pelas diferenças culturais (muito calor de Espanha e muita frieza da Alemanha!) e até pelo humor! Houve muitos altos e baixos na história, e ainda bem, pois assim não se tornou maçuda.
Os livros são grandes mas lêem-se muito bem, principalmente se este género de romance for o preferido do leitor!
Gostei mesmo da história e vou ter saudades de Judith e de Eric!

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Opinião :: A Morte de Ivan Ilitch | Lev Tolstoi


Título: A Morte de Ivan Ilitch
Autor: Lev Tolstoi
Editora: Cardume Editores
Ano: 2017

Sinopse:
Uma dor aparentemente insignificante acaba por abalar o quotidiano de Ivan Ilitch, um respeitado juiz de 45 anos cuja principal preocupação é viver de acordo com as convenções sociais do seu meio. A agonia, a incompreensão dos que o rodeiam e, por fim, a proximidade da morte levam Ivan Ilitch a reflectir sobre o seu passado e sobre as suas opções a nível pessoal e profissional. Teria ele passado ao lado do verdadeiro sentido da Vida? Publicada em 1886, a novela A Morte de Ivan Ilitch é considerada uma das obras.primas de Lev Tolstoi.

Opinião:
Este é um pequeno livro que, numa leitura breve, nos faz reflectir sobre qual será o verdadeiro sentido da vida e até mesmo da morte. Conhecemos a personagem principal, o juiz Ivan Ilitch, que vive relativamente bem mas que, ao sofrer um pequeno acidente doméstico, que momentaneamente ignora, acaba por traçar o seu curto destino. Nessa caminhada para a morte, Ivan Ilitch vive em dor mas em constante reflexão.
Nos seus pensamentos, podemos revermo-nos em algumas questões; pelo menos eu, admito que já me questionei algumas vezes sobre a vida ou o valor que nós próprios temos. Na verdade, qualquer um de nós poderia ser Ivan Ilitch!
Penso que Lev Tolstoi escreveu uma obra intemporal que incita à reflexão sobre o nosso propósito no mundo. Creio que esta reflexão não procura respostas concretas, pois o assunto é demasiado complexo, mas sim que nos ajuda a encontrar um sentido para algum aspecto da nossa vida. Afinal, a vida é tão breve e não sabemos se o amanhã chegará!
Além disso, o livro é fácil de ler e proporciona uma leitura leve, apesar de o assunto ser complexo, pesado.
Pela sua intemporalidade e pertinência, recomendo este livro!

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Received book :: "2024: A History of the Future"

Hello! I'm here today to share with you my newest book, won on Goodreads: 2024: A History of the Future, gently sent by its author, Chris Oswald. The book looks very interesting, once it addresses the issue to the past and the future of Britain.
I guess I will have a challenging reading, since the book has 401 pages written in English, but I will read it as soon as I can so I can tell you what I think about it.


I must thank Chris Oswald for sending me this copy with a very special message on it! 🙂

Title: 2024: A History of the Future
Author: Chris Oswald
Publisher: Newmore Publishing
Year: 2017 (2nd edition)

Synopsis:
Something had to change.
Someone had to lead that change.
But was he up to the task?
George was an intellectual, a journalist, a writer: more theory than practice. Could he lead the country to a new beginning?
Someone had to stand up to the tyranny, the controlling force that had crept up to overtake their lives. Someone who could espouse the principles they all believed in.
But George had always been on the sidelines, involved but not committed. A product of the establishment but not a driving force.
Until now. Until he made the ultimate decision. A decision that would dramatically alter the fate of their country.
Britain was a sorry state; controlled, whittled down, oppressed and depressed.
Until now.
2024: A History of the Future is an engaging tale of the struggle to make change to a nation and to all those involved. Both historical novel and political thriller, it will take you into the future and back into the past, tying the two together in one story. One drama to fashion our future.
Through the Past.

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Opinião :: Pede-me o que quiseres, agora e sempre | Megan Maxwell

Título: Pede-me o que quiseres, agora e sempre
Autora: Megan Maxwell
Editora: Planeta
Ano: 2014

Sinopse:
Após provocar o seu despedimento na empresa Müller, Judith está disposta a afastar-se para sempre de Eric Zimmerman, e decide refugiar-se na casa do pai em Jerez.
Angustiado pela partida de Judith, Eric segue-lhe o rasto. O desejo continua latente entre ambos e as fantasias sexuais estão mais vivas do que nunca, mas desta vez é Judith quem impõe as condições, que ele aceita em nome do amor que professa.
Tudo parece voltar à normalidade, até que um telefonema inesperado os obriga a interromper a reconciliação e deslocarem-se a Munique. Longe do seu ambiente, numa cidade hostil e com o aparecimento do sobrinho de Eric, um contratempo com o qual não contava, a jovem terá de decidir se lhe deve dar uma nova oportunidade ou, pelo contrário, começar um novo futuro sem ele.

Opinião:
Neste volume da saga Pede-me o que quiseres, ficamos a conhecer a nova vida de casal de Judith e de Eric, bem como a família deste último.
Este livro é semelhante ao primeiro no conteúdo erótico (forte e em constante descoberta) e na relação um pouco atribulada das personagens, com alguns altos e baixos. No entanto, gostei um pouco mais deste porque Judith descobre o lado mais íntimo e difícil da vida daquela família e, ao integrar-se nela, tenta ajudá-la a ultrapassar alguns fantasmas do passado.
Gostei particularmente do lado mais humano de Judith, no seu altruísmo para com as pessoas e também com os animais.
A linguagem utilizada no geral é igualmente informal e, nos momentos de sexo, um tanto mais brusca, mas não ofensiva.
O final deste livro deu a sensação de fim da história, mas este inclui um excerto do livro seguinte e continuo curiosa por saber como irá correr a vida deste empático casal.

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Empréstimo :: "Pede-me o que quiseres ou deixa-me"

Neste dia feriado, deixo aqui o terceiro livro da série Pede-me o que quiseres, que tenho seguido nos últimos tempos e me tem deixado completamente rendida! Ontem, emprestaram-me o Pede-me o que quiseres ou deixa-me e, como já acabei de ler o segundo, irei já hoje começar a ler este!
Já agora, irei partilhar aqui a minha opinião acerca do segundo livro em breve.

Título: Pede-me o que quiseres ou deixa-me
Autora: Megan Maxwell
Editora: Editorial Planeta
Ano: 2014

Sinopse: 
Judith e Eric regressam da viagem de lua-de-mel depois de um casamento de sonho. Ele sente-se o homem mais feliz do universo e não imagina a vida sem ela: apesar disso, os ciúmes e o desejo veemente de a proteger assolam-no repetidamente.
Por seu lado, Judith está maravilhada com o seu Iceman e tenta ver sempre tudo pelo lado positivo, embora em mais de uma ocasião fique com o pescoço cheio de chupões…
Desfruta de Eric e dos jogos sexuais, excepto quando ele lhe sussurra que um dos seus maiores desejos é ter um filho com ela.
Pede-me o Que Quiseres ou Deixa-me é uma intensa e atrevida história de amor, recheada de atracção e erotismo, onde os protagonistas lutam por preservar a relação, apesar de o preço que terão de pagar ser demasiado alto.
Megan Maxwell conclui assim esta saga erótica repleta de emoções e paixão.

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Opinião :: Marta | PJ Vulter

Título: Marta
Autor: PJ Vulter
Editora: Coolbooks
Ano: 2017

Sinopse:
Peixelim, verão de 1972. Todos se preparam para as festas da Vila e Teresa aguarda, ansiosa, o reencontro com os primos, Maria Alva e Rodrigo.
Teresa sempre viveu sob a sombra de Marta, a irmã que nunca conheceu, falecida 20 anos antes. Ao completar 16 anos, tudo piora. De repente, Marta parece ressuscitar para a atormentar ainda mais. Ela era uma assombração para toda a família, mas, inexplicavelmente, nunca se falava dela.
Toda a esperança de Teresa estava naquele alento que os primos lhe davam, nas festividades. Mas, nesse ano, nem eles conseguirão valer-lhe; Marta, e tudo o que ela significa - seja lá isso o que for -, está de regresso para atormentar a sua vida. 
Marta leva-nos aos últimos tempos do Estado Novo e ao clima de suspeição e opressão reinantes. Este belíssimo romance retrata um modo de vida que para a maioria dos jovens de hoje nunca existiu, mas é parte da nossa História recente… E é bom lá voltar, de vez em quando, para sabermos dar valor à liberdade que temos.

Opinião:
A sinopse deste livro deixou-me realmente interessada nesta história, mas, não sei bem porquê, senti que o mesmo não iria surpreender-me ou ser um livro excelente; talvez tenha sido por causa do número relativamente reduzido de páginas, tendo em conta o mistério envolvente. No entanto, desde o início quis conhecer a verdadeira história de Marta.
Em Marta, viajamos até aos anos 50 e 70 do século passado, décadas que viram nascer as irmãs Marta e Teresa, que nunca se conheceram mas que estiveram sempre ligadas. Teresa, agora com 16 anos, vive mais do que nunca assombrada pelo fantasma da irmã, bem como a família que a conheceu e presenciou o seu trágico fim. À custa desse acontecimento, Teresa está infeliz e teme que o seu futuro esteja condicionado, mas os seus primos são o seu grande apoio e farão de tudo para a ajudar. Mas, afinal, a grande questão que se coloca é: o que aconteceu a Marta? Por que razão morreu ela tragada por uma onda?
Durante toda a leitura tive essas questões sempre presentes e o certo é que nunca mais encontrava as respostas... Mas fui ficando a conhecer mais pormenores da família e de algumas personagens essenciais à trama, tendo sempre presente a falta de liberdade de expressão que se fez sentir na altura. De facto, este livro é um excelente retrato da ditadura salazarista e, por vezes, custou-me acreditar que aquelas situações se passaram há pouco mais de quarenta anos (em plena juventude dos meus pais!).
De volta à história, acho que ela foi relatada com pouco detalhe e desenvolvimento, bem como as personagens mereciam ser mais bem conhecidas. Apesar disso, gostei do enredo e das pessoas envolvidas, principalmente da Teresa e dos primos Maria Alva e Rodrigo, pois representam bem a geração da mudança que lutou pela liberdade do país.
Honestamente, já perto do final e ainda sem saber o que se passara com Marta, comecei a ficar desiludida com o livro. No entanto, o mistério permanente culminou com um final inesperado, completamente surpreendente: não esperava mesmo aquele desfecho. Por isso, este livro subiu na minha consideração.
Apesar de breve, aqui está um bom livro para os que gostam de mistérios e sempre sob a opressão do Estado Novo.

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Empréstimo :: "Pede-me o que quiseres, agora e sempre"

Como prometido, a minha amiga emprestou-me o segundo livro da série Pede-me o que quiseres, por sorte no dia a seguir a ter terminado de ler o primeiro. Assim, a ressaca foi menor e pude retomar a leitura sem perder o fio à meada!

Título: Pede-me o que quiseres, agora e sempre
Autora: Megan Maxwell
Editora: Planeta
Ano: 2014

Sinopse:
Após provocar o seu despedimento na empresa Müller, Judith está disposta a afastar-se para sempre de Eric Zimmerman, e decide refugiar-se na casa do pai em Jerez.
Angustiado pela partida de Judith, Eric segue-lhe o rasto. O desejo continua latente entre ambos e as fantasias sexuais estão mais vivas do que nunca, mas desta vez é Judith quem impõe as condições, que ele aceita em nome do amor que professa.
Tudo parece voltar à normalidade, até que um telefonema inesperado os obriga a interromper a reconciliação e deslocarem-se a Munique. Longe do seu ambiente, numa cidade hostil e com o aparecimento do sobrinho de Eric, um contratempo com o qual não contava, a jovem terá de decidir se lhe deve dar uma nova oportunidade ou, pelo contrário, começar um novo futuro sem ele.

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Música :: Junior Eurovision Song Contest 2017

Ontem, decorreu o Junior Eurovision Song Contest (JESC), em Tbilisi, capital da Geórgia.
Este certame teve início em 2003, em Copenhaga, e Portugal participou duas vezes: em 2006, com Pedro Madeira, e 2007, com Jorge Leiria. Com estas duas participações, nunca conseguimos um bom resultado, e acho que foi por isso que não voltámos a fazer parte... até este ano glorioso para nós!
Apesar de ser fã da Eurovisão, admito que não seguia o JESC, talvez por esta versão não ter tido grande impacto em Portugal. Lembro-me de ver o Pedro Madeira a cantar em Bucareste, mas por acaso não me lembro de ver o Jorge Leiria. Desde então, ouvia falar de vez em quando no concurso, mas sempre tive a ideia de que era um concurso de leste, pois a maioria dos países concorrentes são de lá. Porém, passados dez anos e depois da nossa vitória no ESC, regressámos e levámos Mariana Venâncio até Tbilisi para nos representar com Youtuber.


Admito: ao ouvir esta canção, fiquei super desiludida. Achei-a muito repetitiva, fraca de letra e deu a ideia de ter sido feita à pressão. Esperava muito melhor. Não assisti à escolha do intérprete nos Juniores de Portugal, mas quando soube que tinha sido a Mariana a escolhida, fiquei contente. A voz dela é muito boa e adequou-se à música.
Tempos depois, surgiu a versão de estúdio da canção e notei algumas alterações - para melhor! E comecei a gostar um pouco mais dela; a voz da Mariana é querida e tornou a música mais catchy.

E ontem foi o grande dia! Estava ansiosa por conhecer as outras canções. Fui vendo as actuações e pontuando cada uma delas, e cheguei à conclusão de que não houve nenhuma que tivesse adorado, mas houve algumas que gostei: da Malta (adorei a pinta do Gianluca!), da Bielorrússia (não esperava gostar tanto desta, mas surpreendi-me), da Geórgia (que voz incrível, a do miúdo!) e da Albânia (mesmo em albanês, a miúda conseguiu transmitir a mensagem).
Findadas as actuações, foi hora de votar. Este ano houve uma novidade: o público pôde votar online antes e após as performances, inclusivamente no próprio país. De início, pensei que poderia ser injusto para alguns (os países mais populosos poderiam ser mais beneficiados), mas como tínhamos de votar no mínimo em três países, não nos daria a oportunidade de votarmos apenas em nós... e ainda bem, senão iria correr muito mal!
Na hora de conhecer os votos, fui vendo Portugal a ficar para trás... Não era de admirar, por mais garra que a Mariana tivesse dado em palco, mas com aquela canção era difícil conseguir muito melhor... E digamos que a votação em Maio deixou-me mal habituada! 😆 Acabámos em 14.º lugar, tal como em 2006, mas com mais pontos: é o nosso melhor resultado!
Este ano, venceu a Rússia; para mim, foi uma vitória inesperada. Não foi das minhas canções preferidas, mas a voz da Polina era a mais poderosa: que vozeirão!


E assim terminou mais um JESC. Ao contrário do ESC, o país vencedor não tem de ser o anfitrião do ano seguinte. Por isso, o JESC de 2018 será em Minsk, na Bielorrússia. E Portugal já garantiu a sua participação!
Só desejo que se faça um Juniores de Portugal mais pomposo e que haja mais variedade musical. Talento aqui não falta e já vimos que podemos mesmo ganhar qualquer evento! 😉

sábado, 25 de novembro de 2017

Opinião :: Pede-me o que quiseres | Megan Maxwell

Título: Pede-me o que quiseres
Autora: Megan Maxwell
Editora: Editorial Planeta
Ano: 2013

Sinopse:
Após a morte do pai, o prestigiado empresário alemão Eric Zimmerman decide viajar até Espanha para supervisionar as filiais da empresa Müller. Nos escritórios centrais de Madrid conhece Judith, uma jovem inteligente e simpática, por quem se enamora de imediato.
Judith sucumbe à atracção que o alemão exerce sobre ela e aceita tomar parte nos seus jogos sexuais, repletos de fantasias e erotismo. Com ele aprenderá que todos temos dentro um voyeur, e que as pessoas se dividem em submissos e dominantes… Mas o tempo passa, a relação intensifica-se e Eric começa a temer que o seu segredo seja descoberto, algo que poderia ditar o princípio do fim de uma relação.

Opinião:
A minha curiosidade por esta história estava no máximo, pois não sabia ao certo o que iria encontrar. Aliás, sempre pensei que fosse algo do género de As Cinquenta Sombras de Grey, mas obviamente as histórias mostraram-se diferentes.
Neste livro conheci Judith, uma mulher jovem que trabalha para a empresa Müller e que, por acaso, conhece o seu chefe, Eric Zimmerman, de modo inusitado. Desde o início, a relação deles torna-se bastante colorida e, aos poucos, em descoberta, quer no plano afectivo, quer no sexual.
Gostei de conhecer as personagens, principalmente Judith pela sua veia espanhola e talvez por a narração ser feita por ela. Quanto a Eric, imaginei-o tal como Grey por causa da sua maneira de ser e do poder que detém; já em relação ao sexo, eles são muito diferentes, e isso foi um óptimo aspecto para não ser mais do mesmo.


Existem descrições pormenorizadas de sexo na maioria dos capítulos e, sinceramente, não contava com este mundo de Eric; creio que, para esta leitura, é necessário ter uma mentalidade aberta para compreender e aceitar novas formas de viver o sexo.
Além disso, fiquei rendida a este casal e ao amor entre eles; cheios de altos e baixos, fazem de tudo para se reconciliarem. Contudo, o final do livro foi uma bomba: não tinha pior altura para terminar! O auge da história deu-se aí e fiquei literalmente ansiosa por continuar a ler. Bem, não vejo a hora de arranjar o segundo livro!
Este livro vale muito a pena para todos os que gostam de bons romances eróticos e para quem gosta de descobrir mais maneiras de desfrutar o sexo.

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Livro recebido :: "A Voz do Silêncio"

Olá! O mais recente livro que recebi é A Voz do Silêncio, de Helena Petrovna Blavatsky. É um livro espiritual escrito no ano 1889 que tocou e inspirou várias personalidades mundiais, inclusive Fernando Pessoa, que foi quem traduziu esta obra. Já agora, esta capa é linda e transmite muita tranquilidade! 😌

Título: A Voz do Silêncio
Autora: Helena Petrovna Blavatsky
Editora: Marcador
Ano: 2017 (4.ª edição)

Sinopse:
A Voz do Silêncio é uma verdadeira inspiração divina. Uma obra-prima que inspirou Lev Tolstói, James Joyce, Aldous Huxley, Carl Jung, Albert Einstein, Mahatma Gandhi, Jiddu Krishnamurti, Wassily Kandinsky, entre outros.
O texto traça, em linguagem poética e elevada, um panorama do caminho que leva à iluminação fazendo diversas recomendações práticas aos aspirantes que o desejam seguir.
Ensina-nos a ouvir tudo o que vem do seu interior como um verdadeiro guia para a vida, numa viagem de autoconhecimento, onde é necessário ser perseverante e subir com força e fé os degraus do caminho.
É uma obra-prima da literatura espiritual que ilumina e inspira os buscadores da verdade até aos dias de hoje.

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Opinião :: Na Boa! | Diogo Faro

Título: Na Boa!
Autor: Diogo Faro
Editora: A Esfera dos Livros
Ano: 2017

Sinopse:
Ser feliz na Dinamarca e noutros países prósperos é fácil. Com uma boa lareira por perto e um ordenado confortável para se fazer umas viagens aos trópicos duas ou três vezes por ano, quem é que consegue ser infeliz?
Já a felicidade em Portugal, onde o salário mínimo é mesmo mínimo, os transportes públicos estão sempre atrasados e é preciso dormir à porta da Segurança Social para se ser atendido, é um assunto intrigante que desperta o fascínio da comunidade científica mundial. É, de facto, um case study que merece ser escrutinado e compreendido em toda a sua profundidade – até porque, segundo sondagens recentes, cerca de 97% dos portugueses são felizes. Porquê? Porque levam a vida, passe a expressão singela, «na boa».
Esta é uma das conclusões mais interessantes dos estudos aprofundados que, desde o início do novo milénio, têm sido levados a cabo pelo Instituto Português dos Altos Estudos para a Felicidade (IPAEF), os quais são divulgados pela primeira vez com a publicação desta obra.
Numa linguagem rigorosa, mas acessível, o presidente e fundador do IPAEF, Diogo Faro, que tem percorrido o mundo a dissertar sobre este fenómeno em palestras de acesso restrito, explica agora ao grande público o extraordinário segredo da felicidade do povo português. «“Na boa”, “um gajo safa-se”, “claro que se desenrasca isso”, os problemas resolvem-se e a vida leva-se de sorriso na cara», escreve o autor. «Com mais ou menos sobressaltos, descobrimos constantemente maneiras de saltar de nenúfar em nenúfar, mesmo quando à nossa volta tudo é um lago de problemas.»
Porque de vez em quando é bom olharmo-nos ao espelho e gostarmos do que vemos, a leitura deste livro fará o leitor sentir-se ainda mais feliz. Por si. Pelo seu país. Por todos nós.

Opinião:
Nos últimos tempos, a publicação de livros sobre os segredos para a felicidade e bem-estar tem sido recorrente; começou com a Dinamarca, passou já pela Suécia... e Portugal não podia ficar de fora! Tudo isto quase se parece com uma guerra de modos de vida para ver quem é que vive melhor e mais feliz... Atenção: não li os outros livros e não tenho nada contra esses ideais (até gostava de os ler); apenas acho essa disputa saudável e curiosa. E Portugal, com esta dissertação, junta-se ao grupo da maneira mais portuguesa possível!
Na Boa! é um livro cómico, cheio de ironia, mas que tem também o seu lado mais sério, ao nos fazer lembrar das pequenas coisas tão características do nosso país que são capazes de nos distinguir e nos dar orgulho da nossa nação, o que nos proporciona boas sensações e, consequentemente, felicidade!


O livro não poderia ter começado da melhor forma, ao falar sobre os conhecidos 3 F's: os originais Fátima, Futebol e Fado, bem como a referência ao Festival da Eurovisão deste ano, que ainda hoje me deixa incrédula e me faz arrepiar só de me lembrar desse dia...
Mas bem, o livro não se cinge a isso e tem inúmeros aspectos bem portugueses sobre os quais Diogo Faro fala e, muitas vezes, satiriza. Admito que desatei a rir muitas dessas vezes, porque de facto algumas das sátiras já me passaram pela cabeça e, vê-las escritas no livro, fizeram-me crer que não sou a única a pensar assim!
A acompanhar o texto, podemos ver várias imagens e fotografias pessoais do autor. Aliado ao facto de o livro ser pequeno, lê-se rapidamente. Diria mesmo que se lê numa tarde, na boa!
Adorei lê-lo! Vale a pena pela boa disposição que proporciona e pelo lembrete de que ser português é bom!

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Empréstimo :: "Pede-me o que quiseres"

Há uns dias, encontrei-me com uma amiga que tinha acabado de comprar um livro num quiosque e qual não foi o meu espanto quando vi que se tratava de um dos livros de Megan Maxwell, pertencente a uma série de que tanto se ouviu falar. Boquiaberta, comentei que já há muito desejava ler aqueles livros e ela disse-me que tinha a série completa e que mos ia emprestar! Fiquei felicíssima!
Logo no dia a seguir, já tinha este livro em mãos, que é o primeiro volume: Pede-me o que quiseres. Mal posso esperar por começar a ler!
Quem já leu este ou outro livro de Megan Maxwell? O que têm a dizer?

Título: Pede-me o que quiseres
Autora: Megan Maxwell
Editora: Editorial Planeta
Ano: 2013

Sinopse:
Após a morte do pai, o prestigiado empresário alemão Eric Zimmerman decide viajar até Espanha para supervisionar as filiais da empresa Müller. Nos escritórios centrais de Madrid conhece Judith, uma jovem inteligente e simpática, por quem se enamora de imediato.
Judith sucumbe à atracção que o alemão exerce sobre ela e aceita tomar parte nos seus jogos sexuais, repletos de fantasias e erotismo. Com ele aprenderá que todos temos dentro um voyeur, e que as pessoas se dividem em submissos e dominantes… Mas o tempo passa, a relação intensifica-se e Eric começa a temer que o seu segredo seja descoberto, algo que poderia ditar o princípio do fim de uma relação.

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Opinião :: Voo Fantasma | Bear Grylls

Título: Voo Fantasma
Autor: Bear Grylls
Editora: Marcador
Ano: 2017

Sinopse:
Uma mãe e um filho raptados de forma selvagem numa montanha cercada pela neve.
Um soldado leal, torturado e executado num lugar remoto da Escócia.
Um avião perdido, finalmente descoberto no coração da selva amazónica, que esconde um segredo perigoso que poderá libertar o mal na Terra.
Uma corrida desesperada para vencer uma conspiração assustadora nascida nos dias mais negros da Alemanha nazi.
E há algo que une tudo isto. Só um homem pode desvendar o segredo. Will Jaeger. O Caçador.

Opinião:
Iniciei esta leitura sem saber ao certo o que esperar... e digamos que o começo da história não é o mais bonito e agradável de se ler... mas continuei a leitura com vontade de conhecer o conteúdo do livro; e fiquei viciada!
A personagem principal é Will Jaeger, um ex-soldado do Exército Britânico, que, depois de três anos em Bioko (uma ilha da Guiné Equatorial) e de regressar a Londres, parte com a sua equipa para uma expedição na selva amazónica, com vista a descobrir os segredos de um avião da Segunda Guerra Mundial lá perdido. Contudo, uma conspiração surgida na Guerra torna esta aventura numa luta contra o perigo que ela acarreta e, consequentemente, numa corrida pela própria sobrevivência.


Apesar de ter levado vários dias a ler, este livro cativou-me cada vez mais a cada capítulo; estes são curtos, porém terminam com muito suspense, tornando a leitura compulsiva! Adorei o enredo, principalmente quando este se desenrolou na selva; segui cada passo da aventura, de todos os percalços que foram aparecendo (não foram poucos!) e das soluções que eles encontraram. Nestes momentos, notei bem a experiência de Bear Grylls reflectida nas acções de Jaeger, sendo igualmente uma óptima fonte de informação de sobrevivência neste meio.
Houve mistério até ao final do livro, mas a forma como este terminou soube-me a pouco... Ou seja, terminou o livro mas a história não. E agora fiquei desejosa de ler a continuação!
Gostei mesmo deste livro!

domingo, 5 de novembro de 2017

Colecção "Ler Faz Bem" da Revista Visão #11

Boa tarde! O penúltimo livro da colecção Ler Faz Bem já se juntou aos meus anteriores. Este mês, o livro é O Estranho Caso do Dr. Jekyll e do Sr. Hyde, de Robert Louis Stevenson, e inclui igualmente os títulos O Furta-Defuntos e Olalla. Desconhecia por completo este autor, bem como estas obras, mas já pude constatar de que se tratam de narrativas obscuras... É certo de que não sou fã deste tipo de literatura; no entanto, não sei porquê, fiquei curiosa em relação a estes contos. Até pode ser que venha a gostar... :)

Título: O Estranho Caso do Dr. Jekyll e do Sr. Hyde
Autor: Robert Louis Stevenson
Editora: Cardume Editores
Ano: 2017

Sinopse:
Recolhem-se neste volume três das mais terríveis e assombrosas narrativas de Robert Louis Stevenson, escritor escocês nascido a 13 de Novembro de 1850 em Edimburgo e que viria a falecer no outro lado do mundo, nas ilhas Samoa, a 3 de Dezembro de 1894. Além de O Furta-Defuntos e Olalla, apresenta-se aqui O Estranho Caso do Dr. Jekyll e do Sr. Hyde, uma das narrativas mais famosas de Stevenson. Obra-prima da literatura gótica e de terror, O Estranho Caso... aborda com mestria o tema da dupla personalidade e o conflito entre o Bem e o Mal.

domingo, 29 de outubro de 2017

A ler :: Voo Fantasma | Bear Grylls

Olá! Nos últimos tempos, tenho lido um pouco menos do que gostaria; alguns dias lia um ou dois capítulos e noutros até nem me apetecia mesmo ler. Acontece a todos em algum momento, não é verdade? Bem, talvez esta minha falta de vontade possa ter surgido pelos livros que tenho escolhido para ler, pois não me têm cativado lá muito... Mas este último que escolhi, e que é a minha leitura actual, está a mostrar-se cada vez mais interessante... e prendeu-me por completo!

https://www.instagram.com/p/Ba1s7tHBa44/?taken-by=mliterariosblog

O livro é Voo Fantasma, de Bear Grylls, e está a superar as minhas expectativas. Estou mesmo a adorar!
Quem já o leu?

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Review :: Carson | Melissa Foster


Title: Carson (Bad Boys After Dark)
Author: Melissa Foster
Publisher: World Literary Press
Year: 2017

Synopsis:
Second chances really do exist...
As the founder of a multimillion-dollar international security business, Carson Bad exposes secrets for a living. He knows better than to forge relationships built on them. But for years he did just that with his best friend, and secret lover, Tawny Bishop. She brought a sense of calm and understanding to his life—in and out of the bedroom. Until one fateful night when a knock at the door changed everything.

Tawny is no longer a naive college student. She’s a sought-after perfumer living in Paris. She has plenty of resources at her fingertips, and lots of lonely nights to think about the only man she’s ever loved—the one she ran away from all those years ago. She needs to move forward with her life, but how can she when Carson still owns her heart?
Maybe showing up in the middle of the night unannounced isn’t the best route to unraveling the past and figuring out her future, but Tawny has played it safe for ten long years, and it's only made her long for the man she never should have walked away from. Now she's back in Carson’s life, and he’s determined not to make the same mistake twice. If only he knew what that mistake was.


Review:
This book belongs to a series of erotic novels and when I started reading it, I decided not to create high expectations, once the last erotic book I read was a bit disappointing. However, I found this story much more interesting than I could imagine.
The story is all about Carson Bad and Tawny Bishop. They've had a romance when they were college students but life pulled them apart, even if they did not forget each other. Thus, after so many years, they meet again and relive their hot romance, while they fight against some ghosts and unsolved problems from the past.
I loved discovering Carson and Tawny's personalities, as their life as a couple. The story is full of love and sex, with a lot of erotic descriptions; although they are pretty detailed, I didn't find them obcene or nasty. Also, I think the novel has good content and talks about nowadays' important issues.
I enjoyed very much the author's writing, which was informal, fun and very rich. What I appreciated the most was the fullness of adjectives, mostly referred to the sense of smell, once Tawny is a perfumer and that is her most particular sense.
In the end, this story might seem to be a cliché happy ever after, but I loved it anyway. I think I'd love to read the other series' books or even more about this couple!

terça-feira, 17 de outubro de 2017

Livro recebido :: "Os Vampiros do Norte"

Viva! Eis o mais recente livro que se juntou à minha colecção: Os Vampiros do Norte, de João Carlos Pinto. Ao ler a sinopse, fiquei a prever uma leitura muito bem-disposta!

Título: Os Vampiros do Norte
Autor: João Carlos Pinto
Editora: Chiado Editora
Ano: 2017

Sinopse:
O protagonista e narrador de Os Vampiros do Norte é Trigo Roxo, o inspetor da PJ mais temido pelos criminosos nacionais, multinacionais, espirituais e galácticos. A trama principal começa com a perseguição a um vampiro made in Portugal e termina com o resgate de escravos portugueses da barbárie perpetrada por pérfidos e sanguinários vampiros do norte, nos alpes da Baviera. A talho de foice da intriga principal, Trigo Roxo narra ainda outras operações que levou a cabo com sucesso, onde todos os outros fracassaram: a libertação no inferno, das garras de lúcifer, de dois dos poucos políticos que tiveram entrada no Céu; a aniquilação da praga de mortos-vivos, comandados por lobisomens, que se propagavam pela Sibéria e ameaçavam invadir todo o mundo; a recuperação, no planeta Yoda, de móveis de sala de jantar de design exclusivo, produzidos em Portugal, comprados, sem autorização do fabricante, por extra terrestres descendentes de terráqueos; e muitas mais aventuras de cortar a respiração.
Os Vampiros do Norte é uma sátira política que não vai deixar ninguém indiferente. O autor aposta o seu pescoço em como, até mesmo os leitores mais exigentes, quando chegarem à última página do livro, vão ficar com água na boca e a chorar (ou será a rir?) por mais.

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Opinião :: O Alienista | Machado de Assis

Título: O Alienista
Autor: Machado de Assis
Editora: Cardume Editores
Ano: 2017

Sinopse:
Quem é louco? Esta é a questão que Machado de Assis se coloca neste conto, publicado entre 1881 e 1882 na revista carioca A Estação e logo de seguida no volume Papéis Avulsos. O Alienista conta a história do eminente doutor Simão Bacamarte, médico e dedicado estudioso da mente humana, que decide construir a Casa Verde, um hospício para tratar os doentes mentais na pequena cidade de Itaguaí. Nesta narrativa, Machado de Assis mostra-nos que tudo é relativo e a normalidade nem sempre é aquilo que a ciência e os factos atestam de forma absoluta.

Opinião:
Foi com curiosidade que comecei a ler este livro, pois esperava encontrar uma história engraçada mas que, ao mesmo tempo, passasse uma mensagem para reflectir posteriormente.
Neste conto, o médico Simão Bacamarte trabalha para atingir um grande objectivo: estudar a mente humana e perceber como ela funciona. Com esse propósito, construiu a Casa Verde para internar todos aqueles que considerava loucos. Contudo, as consequências desse estudo geraram uma onda de revolta por toda a região e, tanto na história como na leitura, coloca-se sempre esta questão: afinal, quem é que está louco?
Numa escrita bem-humorada e cheia de ironia, Machado de Assis lança um mote à reflexão sobre a relatividade daquilo que damos como certo e também sobre o perfeccionismo e o egoísmo.
Na minha opinião, o médico Bacamarte representa aqueles que pretendem modelar pessoas e/ou ideias, de modo a tornarem-se perfeitas aos seus olhos. No entanto, todos esses esforços são desnecessários, pois a perfeição é irreal, não existe; cada um tem a liberdade de ser e pensar como quer, sem seguir padrões nem ideais. Neste caso, Bacamarte internou os loucos, agrupou-os segundo as suas regras e estudou avidamente as suas personalidades, chegando ao ponto de reunir toda a população na Casa Verde e de viver apenas para isso. Posto isto, o maior louco não seria ele?
Não querendo alongar-me mais nas minhas cogitações, apenas menciono o meu agrado em ler este conto intemporal. Pode não parecer, mas ele foi escrito em 1881!

Ler faz bem... e torna-nos melhores!

domingo, 8 de outubro de 2017

Colecção "Ler Faz Bem" da Revista Visão #10

Boa tarde! Esta manhã adquiri o 10.º livro da colecção Ler Faz Bem, que faz parte da Revista Visão. O livro deste mês é O Jogador, do escritor russo Fiódor Dostoievski.

Título: O Jogador
Autor: Fiódor Dostoievski
Editora: Cardume Editores
Ano: 2017

Sinopse:
Em O Jogador, novela originalmente publicada em 1867, Dostoievksi descreve, de modo quase autobiográfico, a sua terrível experiência com a paixão do jogo, o desespero e a miséria consequentes. O Jogador é o relato, na primeira pessoa, de Alexis Ivanovitch, preceptor, do seu enamoramento por Paulina e da sua perdição no jogo no lugar imaginário de Roletemburgo, onde, no casino, os diversos tipos de jogadores se envolvem num ambiente que os conduz gradualmente à dissolução.

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Prémio Nobel da Literatura 2017


"Que, em romances de grande força emocional, revelou o abismo sob o sentido ilusório de conexão com o mundo."

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Received book :: "Carson"

Hello everybody! Today I have a new book to show you, won on Goodreads: Carson (Bad Boys After Dark - Bad Billionaires After Dark series), by Melissa Foster. This romance has a misterious synopsis and a story that I really want to meet soon!
By the way, after winning, I was looking forward to receive the book because I was really interested on it. Thank you so much, Melissa! I'll try to read and review it as soon as possible. ☺



Title: Carson (Bad Boys After Dark)
Author: Melissa Foster
Publisher: World Literary Press
Year: 2017

Synopsis:
Second chances really do exist...
As the founder of a multimillion-dollar international security business, Carson Bad exposes secrets for a living. He knows better than to forge relationships built on them. But for years he did just that with his best friend, and secret lover, Tawny Bishop. She brought a sense of calm and understanding to his life—in and out of the bedroom. Until one fateful night when a knock at the door changed everything.

Tawny is no longer a naive college student. She’s a sought-after perfumer living in Paris. She has plenty of resources at her fingertips, and lots of lonely nights to think about the only man she’s ever loved—the one she ran away from all those years ago. She needs to move forward with her life, but how can she when Carson still owns her heart?
Maybe showing up in the middle of the night unannounced isn’t the best route to unraveling the past and figuring out her future, but Tawny has played it safe for ten long years, and it's only made her long for the man she never should have walked away from. Now she's back in Carson’s life, and he’s determined not to make the same mistake twice. If only he knew what that mistake was.